Home | Homenagem | Sensei Yoshihide Shinzato

Sensei Yoshihide Shinzato

Yoshihide Shinzato


Shinzato Sensei
Yoshihide Shinzato
(1927 - 2008)


O Sensei Yoshihide Shinzato nasceu em Haebaru-Sho, na ilha de Okinawa (Japão), no dia 15 de março de 1927. Seus pais eram Seijun Shinzato (lavrador) e Kama Shinzato (do lar) e tiveram mais três filhos.

Seu primeiro contato com as artes marciais se deu na época escolar, aos 12 anos de idade. Os primeiros mestres com quem treinou foram Anbum Tokuda (karatedo) e Sokon Itokazu (judo). Sensei Shinzato conta que decidiu praticar artes marciais para “eliminar o complexo com a estatura baixa”.

Shinzato também treinou karatedo com o mestre Choshin Chibana e kobudo (arte marcial precursora do karatedo, em que se treina com as armas de Okinawa) com os senseis Akamine Shikan, Katsuyoshi Kanei, Masahiro Nakamoto.

Para o sensei Shinzato, karatedo e kobudo são “como duas rodas de carroça, um beneficia o outro, um completa o outro”. Ele acredita também que as principais habilidades desenvolvidas pelo treinamento de karatedo e kobudo são “tadashi shissei – formação total, posição do homem perfeito, força, equilíbrio físico e mental”.

Em 15 de janeiro de 1954, após dois meses de viagem de navio, Sensei Shinzato desembarcou no Brasil, para onde veio, em suas próprias palavras, “em busca de aventura”, já que “no Japão era funcionário publico e tinha uma vida estável”.

No início de sua vida no Brasil, Yoshihide Shinzato trabalhava na lavoura, e começou a ensinar karatedo aos jovens da colônia japonesa, procurando “não esquecer o karate que havia aprendido com seu mestre”.

Sobre as diferenças na forma como as artes marciais são tratadas no Brasil e no Japão, Sensei Shinzato afirma que os japoneses as encaram como defesa, agem como guerreiros, já os brasileiros praticam as artes marciais de um modo leve, rápido e esportivo.

Dentre os primeiros alunos e colaboradores, o Sensei destaca Taro Uehara (hoje vereador de Santos-SP), que auxiliou na abertura de sua primeira academia. Um dos professores de destaque que treinaram com Sensei Shinzato é Hector J. Ceballos, 8º dan, delegado da Argentina, país que possui 350 academias filiadas à IUSKF (International Union Shorin-Ryu Karatedo Federation).

Sensei Shinzato se casou em 21 de dezembro de 1949 com Tomi Shinzato. Tiveram oito filhos, sendo cinco mulheres e três homens (Masahiro, Mitsuhide, Kazuo, Etsuko, Naoko, Yoriko, Valquiria e Kimi). Destes, dois praticam o karate-do.

Em 1962, o Sensei Shinzato fundou em Santos-SP a Academia Santista de Karate-do, que em 1970 passou a se chamar União Okinawa Shorin-Ryu Karate-do do Brasil, e fazendo um balanço da evolução das artes marciais durante todos esses anos de treinamento ele reflete que houve uma ótima evolução, um grande crescimento, a realização de um sonho.

Além da academia matriz em Santos, Shinzato ministrou treinos no Clube Nissei Vicentino, nos Fuzileiros Navais de Santos, no Forte Itaipu e no 2º Batalhão De Caçadores (São Vicente).

Em 1976, funda em Santos a USKB – União Shorin-Ryu Karatedo do Brasil e em 1992 o Sensei funda a International Union Shorin-Ryu Karatedo Federation. Também em Santos, foi fundada a União Shin-Shu-Kan de Kobudo.

Para o Sensei, estas entidades são importantes para manter contato e amizade, demonstrando a união e a harmonia e respeitando as outras artes marciais.

Sensei Shinzato afirma que o importante para o futuro das artes marciais é “transmitir para o aluno aperfeiçoamento próprio, sempre trabalhando a teoria, filosofia e a prática, nunca esquecendo a divulgação (pois se trata de uma arte, e toda arte deve ser mostrada)”.

Completando hoje 80 anos, o Sensei Shinzato ocupa os seguintes cargos reconhecidos pela CBK:

· Kobu-Do Hanshi
· Presidente da Associação Okinawa Shorin-Ryu Karatê-Do Brasil
· Presidente da União Shorin-Ryu Karatê-Do Brasil
· Membro da Banca Examinadora da Federação Paulista de Karatê-Do (Kodansha).
· Membro da Banca Examinadora da Confederação Brasileira de Karatê-Do (Kodansha).

Esta é a mensagem que o Sensei Yoshihide Shinzato gostaria de deixar aos praticantes de karatedo:

“KARATE-DO WA KAKORO MIGAKU
KARADA WO KITAERU
SOSHITE YUYE KINA SHAKAEJIN O TSUKURU.”

“APERFEIÇOAR A ALMA.
TREINAR O CORPO PARA FICAR FORTE.
DESTA FORMA SE TORNAR UTIL PARA VIDA SOCIAL.”



Fonte: http://www.karateonline.com.br/col/bio_07_03_15.html 15/03/2007.

Abaixo está homenagem prestada pela Confederação Brasileira de Karate (CBK) em nota oficial .


É pouco provável que alguém que estivesse no porto de Santos, bem no início daquele já distante ano de 1954, notasse aquele pequeno jovem de semblante alegre e disposição envolvente em meio aos imigrantes que desembarcavam em nosso país. Seu nome: Yoshihide Shinzato. Trazia em seu íntimo o sonho de conhecer um país distante e desenvolver uma profícua vida como agricultor, pois conseguira superar os horrores da II Grande Guerra Mundial, o que segundo suas próprias palavras lhe ensinou a ver cada novo dia como uma vitória.

Pouco tempo depois, na festa de inauguração do Parque do Ibirapuera, em 25 de janeiro de 1954, em São Paulo, esse mesmo jovem encantava a multidão presente ao evento com suas habilidades em artes marciais, prenúncio do que estava por vir...

Poucos anos se passaram até se dar a inauguração de seu primeiro dojo, à rua General Câmara, em Santos. Seguiu-se a fundação da União Shorin Ryu Karatedo Brasil já nos anos 70 e, a partir de então, a onda do karate se alastrou pelo país e em torno da entidade. Naturalmente ocorreu a superação das fronteiras nacionais, atingindo vários países da América do Sul e até outros continentes, dando origem à International Union of Shorin Ryu Karatedo.

A ressonância de seu trabalho levou-o ao reconhecimento pela World Karate Federation como 8°dan em 1998 e ao título de cidadão santista bem como a obtenção de diversas comendas, títulos e homenagens já em anos mais recentes. Mas não devemos aqui nos restringir a uma série de fatos na vida do Sensei ; é nossa obrigação dar destaque ao fato de que aliava à capacidade técnica e ao grande conhecimento sobre artes marciais, uma doce e ingênua habilidade no trato com as pessoas, ao mesmo tempo em que as instruía com seriedade na disciplina severa que é necessária para que se possa evoluir na prática das artes marciais.

"Ele não foi apenas um instrutor de artes marciais, foi um formador de homens”.

Portanto, no momento em que Sensei Yoshihide Shinzato parte, nós devemos nos lembrar de quão bom foi conviver com ele, devemos nos deixar inspirar pela sua personalidade cheia de jovialidade, devemos nos nutrir de seu exemplo de energia e dedicação e devemos, sobretudo, valorizar o legado, a obra ímpar que edificou ao longo de seus oitenta anos de vida!

Vá com Deus, Sensei.






© Camacho