Home | Matrias | Filosofia do Karate-Do

Filosofia do Karate-Do

Filosofia do Karate-Do
"Quanto mais você estudar e praticar no dia-a-dia os princípios filosóficos do Karate-Do,
mais você compreenderá a gravidade ou a grandeza dos seus atos"

Mestre Gichin Funakoshi, criador do estilo Shotokan de Karatê, foi quem mais desenvolveu e aperfeiçoou o aspecto filosófico do Karatê, dando ênfase aos aspectos psicológicos, fazendo com que o praticante melhore sua concentração e adquira um maior controle de suas emoções através do treinamento diário.

Sabendo que o Karatê foi desenvolvido para encerrar conflitos, Funakoshi percebeu que, para se alcançar a plenitude como praticante, somente treinar o corpo e mantê-lo forte e resistente não é o suficiente.

Mesmo porque, de que adianta ser um lutador de alto nível, e no dia-a-dia só dar mau exemplo como cidadão?

O praticante de Karatê, segundo Mestre Funakoshi, deve manter a mente distante do egoísmo e da maldade, o praticante deve buscar a pureza de pensamentos, porém, deve estar em alerta para reagir adequadamente a tudo que encontrar pela frente.

Este é o significado filosófico do sufixo "Kara" (vazio) da palavra Karatê; não é o vazio material, e sim, a ausência de pensamentos negativos ou inferiores.

É preciso crescer interiormente e para isso Funakoshi elaborou cinco princípios básicos com o objetivo de fazer com que o praticante através do estudo desses princípios busque sempre o fortalecimento e a valorização do Eu interior.

A finalidade desses ensinamentos não é a vitória e nem a derrota, mas o aperfeiçoamento do caráter de quem o pratica.

Sensei Funakoshi deixou-nos muitos pensamentos que espelham a filosofia do Karatê e suas técnicas, bem como a sabedoria oriental.

Além disso, deixou-nos dois importantes caminhos que levam à uma vida harmoniosa, são eles o Dojo Kun e o Niju Kun que são os lemas do Karatê, os quais devem ser seguidos por todos os praticantes do Karatê.





© Camacho